20.6.07

Carlos Luando e ana maria costa



Corre-me um rio

(água abandonada)

Debaixo da pele.
E sexo disperso no céu
Feito das gotas dos mares
e, orgasmos ambíguos, certos
Que espumam nos teus olhos,
rocios chegam à tua pele
em marés e voos
Vive a água parada
Nas ilhas que grito.
-Só areia, bole…
Gaivotas de mãos
e boca que toma o rio
Pelos céus do teu corpo....

Carlos Luanda e ana maria costa


fotografo Tino Costa e fotografia do grupo Balletrix

4 comentários:

Zénite disse...

água, sal e espuma sobre a essência tangível.
fogo e orvalho vermelho jorrando frescos
sobre a claridade estival da antemanhã
num sabor a romãs e a morangos silvestres.

[de pele e aromas se faz o poema]


Belo, o vossos poema a duas mãos.

Bosco Sobreira disse...

Belos duetos, minha querida Ana.
Mas, ressinto-me da falta de seus poemas .
Um beijo afetuoso, minha querida Poeta.

Moura ao Luar disse...

Sinergias poéticas :-)

Charlie disse...

Minha querida amiga, as tuas palavras tem o sabor doce do ar que sustenta as asas do voo.
Ao ler-te entrelaçada a mim, sou gaivota no vento e mar fundido no areal.
Dum mero poema fizeste uma obra de arte.
Obrigado, Ana.

Carlos

Minho actual tv