17.4.07

Anderson Santos


"Dos acúleos o mel volta às folhas"
Ana Maria Costa


Transmuda mudo o grão metamorfose.
São as verdades - luzes das sementes.
O que era fel ferrão agora é prenhe.
Silêncio e mel da boca escorrem quentes.

Não há espelho. Apenas o casulo
abandonado, esquecido, nulo.


Anderson Santos

pintura


5 comentários:

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Desculpe a minha ausência, mas o que importa é, que estou de volta.
Ofereço-lhe este poema da minha autoria...

Sorriso


Não me lembro de ter nascido,
Não me lembro de ter vivido,
Não me lembro, jamais de alguma coisa
Se não somente, de ter sofrido!
Mas que importa isso agora?
Se sou feliz por ora.
Tenho amigos por todo lado
Os quais eu tanto amo
Os quais eu muito respeito
Sou feliz, por fazer sorrir alguém
Que sofre tanto ou mais do que eu.


Conceição Bernardino

Beijinhos e uma boa semana...
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

alice disse...

casulo sagrado, ana maria. gostei muito. um grande beijinho para ti.

Bosco Sobreira disse...

Belo poema, mas eu queria novas pérolas de minha querida poeta portuguesa.
Beijos afetuosos.

Felipe disse...

UAU!
primeiro, brigadao pela visita! ESTOU MUITO feliz e lisonjeado com o comentário!
seu site é sensacional! visitarei mais vezes. uma pena eu ter tão pouco tempo pra dedicar às visitas e às minhas inspirações sensasoriais. preciso ser sincero, só visto quando posto algo em meu site pois é qdo tenho tempo. e infelizmente isso tem acontecido com uma certa (in)frequencia!
Beijos Fe

herético disse...

beijo.gostei de ler...

Minho actual tv