19.4.07

Do baú respondo à querida Iara das Àguas


Sou várias mulheres sem nomes para todas
e nunca sei qual delas sou agora.
Ana Mª Costa
Agosto de 2006

quadro a oleo


2 comentários:

Mulher na Janela disse...

Querida Ana.
Você é impagável, criatura! Uma mulher quase divina, divinizada por esse tantão de mulheres, santas ou putas, que lhe habitam, que NOS habitam. Esse recheio de vida entre seus poros me faz sentir tão perto de ti, minha amiga, minha querida amiga, doce amiga do sempre sempre. Te conheço de muito tempo. Talvez outras vidas. E acho que sempre te adorei!
Um beijo grande, meu e do filhote!

alice disse...

então e está tudo bem contigo? é que estranho não publicares mais...

beijinho grande

Minho actual tv