20.2.07

Justiça

No dia,

que eu morrer

por causa do meu coração

peço, para que não o enterrem comigo.

Antes

o prendam e condenem

à morte.

Ana maria costa

04 de Fevereiro de 2007

5 comentários:

david santos disse...

Olá!
Boa, Ana Maria!
O causador do crime deve ser sempre o conenado. Estou de acordo com a justiça que estás a traçar para o teu coração.
Parabéns

Daniel Aladiah disse...

E se ele fosse transplantado para dar vida e morte a outro ser?
Um beijo
Daniel

Paulo Sempre disse...

"(...) Cemitério da minha terra,
Paredes a branquear;
Que bom será lá dormir
Um bom sonho sem sonhar!...(...)
(Florbela Espanca)

PS: Obrigado pelo comentário.
Não sou poeta, mas...noite dentro,por vezes, sinto "abraços" de poetas "mortos". Aqueles em quem a morte não teve poder...
Beijo
Paulo

Anónimo disse...

Forte, profundo, mas sincero e verdadeiro, como só una verdadeira POETISA a sente.
Beijos desta tua colega Ana c.Freitas

Vera Carvalho disse...

Nada mais justo que condenar um coração. Ele é propósito da vida.
Que todos sejam do tamanho do teu!

Minho actual tv