7.1.09

Maria João Oliveira in Amante das Leituras



A barbárie dorme sempre de consciência tranquila e embriaga-se com o
sangue das vítimas inocentes que, habilmente, rotula de criminosas,
desfraldando, ao mesmo tempo, a bandeira da salvação...
No entanto, sem a compaixão e a poesia, a lei da selva já teria
tomado conta de tudo. Há os que dizem "NÃO", curando feridas. E
quando o GRITO das vítimas inocentes penetra no Poeta, até ao osso,
ainda é possível acreditar num mundo melhor. Por isso, a ética da
compaixão é imprescindível. A insensibilidade ao sofrimento alheio
serve os interesses da barbárie.
Obrigada por este belo poema. Obrigada por este seu grito, Bernardete.
Um abraço

Maria João Oliveira

3 comentários:

jorge vicente disse...

e obrigado por este teu outro grito, cara amiga.

a poesia e o abraço são o caminho para a barbárie acabar.

um grande beijinho
jorge

GMV disse...

Ana,

obrigada pela passagem. Aqui, vou ter de voltar, com tempo.

Boa noite.

Graça

Luis F disse...

Um grito, uma voz que se devia ouvir... um momento que devemos pensar.

Gostei de ler e aplaudo de pé este texto.

Eu sou um sonhador, que acredita num mundo melhor... ainda tenho esperança.

Luis

Minho actual tv