26.1.07

o meu mundo

(fotografia de Teresa Rosa)
Esponja
sugo o mundo.

O coração

pólos, altos gelos
crescem espremidos.



ana maria costa
25 de janeiro de 2007

7 comentários:

Bosco Sobreira disse...

QueridAna,
Mais uma poesia que nos enleva. Gosto da tua poética, seja longa ou breve. A poesia nunca é breve, não é verdade, Poeta?
Um beijo afetuoso e obrigado sempre por tuas visitas e comentários.

alice disse...

querida amiga. não poderia deixar de vir ler-te para acabar a semana em beleza. um grande beijinho *

Carlos Luanda disse...

Dos pólos imersos
Gelos impossiveis
Despertam num cante.
Acordam o oceano
e espreguiçam-se dolentes no mar.
Descobrem-se e dobram-se.
e abrem-se em azul
na cor do dia sem fim.
Do vermelho encontro o sangue
com que me rega a flor
enquanto sonho com a noite
E a noite é dona de mim...

auréllio disse...

que lindo...esponja serve pra isso mesmo..limpar a alma também...bom até mais...

Amaral disse...

O teu poema leva-me para outras paragens.
A tua "esponja" - os milhões de átomos que fuem diarimente por cada um de nós; o coração - centro de Tudo o que é; pólos - toda a matéria condensada, que faz tudo o que vemos e tocamos...

Tanta coisa num pequeno poema!!!

MiaHari disse...

Lindas as palavras do sentir...
Como lindo o quadro, cuja foto acompanha!
Parabéns, Ana.
Uma boa semana.

Caçador de Palavras disse...

afinal ainda havia mais um sorriso dos que trouxe da tua loja de sorrisos,

beijinhos

Minho actual tv