1.1.07

Insucesso no tempo


O homem

parte o tempo

em leis!

As árvores não se importam!

Pelo contrário,

dão os braços umas às outras e procriam-se

sem preservativos.

o dinheiro

já não presta

ter muito ao tê-lo todo, não chega!

Agora

quer-se células de celicone

para acrescentar no cérebro da história.

A história

continua a chorar no pus das

leis e ambições das mesmas mentes feridas.

Talvez

as arvores nos possam ensinar como fazemos

para darmos os braços e simplesmente existirmos

como as folhas.

ana maria costa

01 de Janeiro de 2007


2 comentários:

Bosco Sobreira disse...

Que lindo, minha Linda Poeta!
Que o novo ano te receba amorosamente, que te seja seiva para novas criações de beleza.
Um beijo afetuoso,

alice disse...

bom dia, ana maria ;)

obrigada pela tua visita e pelas tuas palavras. sabes que fico feliz e retribuo de coração os votos de bom ano. adorei a falta de "preservativos" no teu post...

beijinho muito grande,

alice

Minho actual tv