25.7.08

Permite-me esta honra*Iara Maria Carvalho


se apanhei castanholas sangrentas
na rede verdosa de minhas saias infantis

se caiei minha cara sem lisura
de pó e pingente enfeitada

é que o futuro é promessa
e quem não se arma de máscara boa de arame

tem arranhões no coração trançados
e um tumor seco entre as pernas recolhido.




IARA MARIA CARVALHO

1 comentário:

Charlie disse...

Que força podem ter as palavras!
E de que força interior tomaram a forma que as fizeram nascer...

Minho actual tv