8.12.07

A minha participação na "Antologia de Natal" da Editora "Edium Editores"

Natal: aletrias e alegrias

A época do Natal aproxima-nos das memórias e os deveres morais acordam depois de um ano. Nestes dias, principalmente, contamos com o calor da lareira, a casa com cheiro de fresco, decorada com luzes e fantasias coloridas, bonecos que cantam e dançam. Na cozinha, o vapor das panelas assobia. É o bacalhau e a penca que, pela excessiva quantidade, transborda pela panela afora e o fogão, sujo dessa água, liberta cheiros de sal queimado. A mesa com a toalha com motivos do Natal para acolher a família vai se enchendo. Os presentes estão no chão, debaixo do "pinheirinho" de Natal, para mais tarde cumprir-se uma tradição.
Antes da ceia da véspera de Natal, preparam-se os doces típicos, Na minha casa o mais tradicional é a aletria. Esta sou eu quem faz, porque tem uma preparação que decorei facilmente: coloco uma panela com água e açúcar, um pau de canela, uma casca de limão e umas pitadas de sal. Deixo apurar o ponto preciso, que a avó ensinou, pego na colher de pau e levanto um fio da calda... está bom. "Está no ponto?". pergunta a Vó Rosa, que está a acender a lareira na sala. "Sim, Vó, fiz como me ensinaste. Está espesso e cai em fio. Agora vou juntar a aletria à calda. Mais uns minutos e está pronto."
Enquanto espero que a aletria fique pronta, passo um pano seco na travessa com desenhos azuis e amarelos que está guardada desde o ano passado. Foi a minha mãe que a deu, junto com um beijo, quando me casei. "Usa-a só no Natal para levares a aletria à mesa, como eu fiz e a tua avó Linda." Disse-me ela.
Com este pensamento na mente, espalho a aletria com cuidado para não sujar os desenhos da travessa. Em seguida, meto a panela debaixo da torneira, abro a água até a encher e deixo ficar. Volto à travessa. Como num ritual, pego-a com as duas mãos, movimentando-a em pequenos movimentos circulares para espalhar a aletria uniformemente. Pronto.
Vamos ao passo que mais gosto de fazer: desenhar sobre o prato com a canela em pó. Às vezes, faço um coração com setas, outras vezes, faço quadrados e, quando não me apetece fazer desenhos, semeio a canela de forma que cubra toda a aletria. O meu pai diz que vê sempre o desenho de uma pomba, mas sei que o faz para me agradar.
A minha mãe, mais a minha avó, Linda, fazem as outras doçarias: leite creme, pudim, sonhos, migas doces ou formigos, enquanto a avó Rosa descasca as batatas e escolhe as hortaliças adiantando a ceia.
Não pode faltar, também, o pão-de-ló feito pelo meu marido com os ovos frescos que as galinhas do nosso quintal puseram no dia anterior. Bacias de barro, farinha, ovos, açúcar, sal, manteiga e o papel para forrar as formas de barro. O forno a lenha no meio do pátio já está na temperatura certa e as formas são metidas no lume por uma hora.
A noite adianta-se, o bacalhau está cozido, os gatos esperam os restos, os cães, uma ração maior e, no meio de conversas boas estão as menos boas, mas todas acabam em memórias, como esta carta minha.

Ana Maria Costa

O texto incluido na "Antologia de Natal "da Editora Edium Editores


10 comentários:

Amaral disse...

Aletrias e alegrias...
E memórias que serão sempre as alegrias de agora...
Bonito texto que nos leva a outros lugares!...

Bichodeconta disse...

Belo livro, parabéns, Entra no novo ano com paz e amor.. O talento , esse tu tens bastante..um beijinho, ell

alice disse...

claro que vou, ana. até dia 15 :)

beijinho

jorge vicente disse...

que texto bonito, ana!!!

um beijo
jorge

Entre linhas... disse...

Um texto muito bonito muitos parabéns.
Beijinhos Zita

Francisco Sobreira disse...

Depois de um certo tempo ausente, mas não esquecido de você, passo por aqui e constato mais um talento seu: o de cozinheira. Beijo afetuoso.

Bosco Sobreira disse...

Minha querida Poeta,
Parabéns por seu merecido trabalho em prol das letras de nossa língua.
Você é merecedora de todos os encômios.
PS. Estou com muita saudade de ti, minha linda e querida amiga!

Bichodeconta disse...

Hoje é um grande dia, não porque tenha mais horas mas porque algures, brilha mais uma estrela, onde consigo vislumbrar o sorriso do teu rosto..Parabéns, um abraço apertado... És especial e assim vás continuar.. Beijinho, ell

http://eternapartedemim.blogs.sapo.pt disse...

Tenho estado ausente, mas não me esqueci deste cantinho tão especial... O que escreves, continua a fascinar-me!

Espero que passes um Natal muito feliz e que o Ano de 2008 te traga tudo o que mais desejares!

Beijinhos natalícios,

Lu Costa

Bichodeconta disse...

Beijinho, amanhã estou aqui de novo..

Minho actual tv